Fiocruz Fiocruz
CPqAM
CYP • Coleção de Yersinia pestis

Histórico

A Coleção de Yersinia pestis (Fiocruz-CYP) teve início em 1966 com o Plano Piloto de Peste em Exu (PPP), projeto patrocinado pelo governo brasileiro e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que desenvolveu um amplo programa de pesquisas na Chapada do Araripe, estado de Pernambuco de julho de 1966 a novembro de 1974. Nesse período, foram isoladas 661 cepas de Y. pestis de casos humanos e de roedores e pulgas. Com a extinção do PPP em 1974, a coleção foi transferida para o Laboratório Central de Garanhuns-PE, criado para funcionar como centro de diagnóstico de peste para todo o país e onde se deu continuidade aos trabalhos de Exu, sendo transferida para o Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPqAM) / FIOCRUZ - PE em 1982. Até 1997, a coleção recebeu depósitos de novas cepas isoladas durante as ações de vigilância e controle da peste nas áreas focais, quando foram incorporados os últimos espécimes obtidos no Brasil.


IAM-INERU-MS, Recife, PE

PPP, Exu, PE

Laboratório Central, Garanhuns, PE

NB3, FIOCRUZ, PE

CPqAM / FIOCRUZ, PE

Em 2007 a coleção foi reconhecida pelo Fórum Permanente de Coleções Biológicas da Fiocruz que recomendou sua institucionalização e foi nomeada Coleção de Yersinia pestis com o acrônimo Fiocruz-CYP.


A CYP atualmente é composta por 916 cepas brasileiras e 15 estrangeiras isoladas nos EUA, Peru, Vietnam, Iran, Java e Birmânia, fornecidas pelo Instituto Pasteur de Paris (IPP/França), Instituto Nacional de Saúde (INS/Peru), Centers for Disease Control and Prevention (CDC - Fort Collins, CO, USA) e Universidade de Cleveland (EUA). Subculturas de parte da coleção foram levadas para algumas instituições no exterior: Microbiological Research Establishment, Salisbury, Wiltshire, UK; Instituto Pasteur de Paris (IPP/França), Instituto Pasteur do Irã (IPI) e CDC (Fort Collins, CO, USA). O intercâmbio interinstitucional, com fornecimento de culturas de Y. pestis, tornou-se excepcional após 2001 por se tratar de organismo de Classe 3 de risco biológico (OMS), assim como categoria A de agentes de bioterrorismo (CDC), o que dificultou o acréscimo de novas cepas à coleção.

A CYP é coleção de serviço, referência e de pesquisa e está incorporada ao Serviço de Referência em Peste (SRP) da FIOCRUZ-PE, reconhecido pelo Ministério da Saúde como Referência Nacional.

A CYP tem valor inestimável, uma vez que no Brasil nenhum outro Serviço de Referência coletou e/ou manteve disponível para os pesquisadores espécimes dessa natureza, além do que, à luz da situação epidemiológica vigente, seria impossível estruturar quantitativa e qualitativamente um acervo semelhante. Ela possibilitou que pesquisadores nacionais e estrangeiros, alunos de graduação e pós-graduação produzissem inúmeros artigos em revistas nacionais e internacionais, teses de doutorado, dissertações de mestrado, monografias, resumos publicados em anais de eventos científicos nacionais e internacionais.

Roedores - hospedeiros


Necromys lasiurus

Galea spixii

Calomys expulsus

Rattus rattus

Thrichomys laurentius

Oligoryzomys nigripes

Cerradomys langguthi

Pulgas - vetores


Polygenis bohlsi jordani

Xenopsylla cheopis

Pulex irritans

Ctenocephalides felis


© 2018 Coleção de Yersinia pestis, Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz